Tropa de Elite (Tropa de Elite, 2007)

by

tropadeeloite

Por Bruno Pongas

Antes mesmo de estrear no cinema, Tropa de Elite alcançou um sucesso jamais visto anteriormente no cinema brasileiro. Muito disso se deve aos inúmeros downloads feitos por internet e a enorme quantidade de DVD’s piratas que foi sendo fabricada na medida em que o filme se tornava uma febre.

Quando chegou ao cinema – aproximadamente no final de 2007 -, a trama continuou sua saga de sucesso, o que carregou ávidos espectadores às telonas, inclusive aqueles que já o haviam visto antes em frente ao computador. Com tanto furor em torno da produção, a pergunta que fica é: Por que Tropa de Elite causou tanto impacto?

A princípio, podemos analisá-lo sob duas óticas distintas. A primeira seria como um mero filme policial. Pois bem, se vermos o longa única e exclusivamente pensando que aquilo é apenas um filme, apenas produto de entretenimento, sem levarmos em conta a influência que ele causa na cabeça das pessoas, com certeza será muito divertido, pois é inegável a qualidade do longa de José Padilha nesse sentido.

No entanto, se caminharmos para o lado ideológico da coisa, Tropa de Elite derrapa feio. Quem dirige a trama, como já foi dito, é o cineasta José Padilha, que em sua curta carreira no cinema até aqui se voltou principalmente aos problemas socias existentes no país – vide Ônibus 174 e o mais recente Garapa, ambos documentários. No roteiro, a mesma turminha de sempre, encabeçada por Bráulio Mantovani, também roteirista de Cidade de Deus, Linha de Passe e Última Parada 174.

Até acho louvável a abordagem de temas sociais, já que os mesmos carecem de cuidados especiais, que por muitas vezes acabam sendo esquecidos por nossas autoridades. Contudo, o problema maior está na maneira como colocam esses problemas na mesa, sempre de forma apelativa e tentando julgar quem está certo e quem está errado, como se eles fossem deuses ou os próprios donos do mundo.

Tropa de Elite, assim como o recente e já comentado Última Parada 174 e todos os outros que seguem essa linha, pecam na sua mensagem final. No caso específico do mega-sucesso de José Padilha, o que é transmitido para o espectador é um ódio súbito ao bandido e uma culpa duvidosa de que é o boyzinho de classe média que fincancia o tráfico de drogas. De fato, criminalidade é um tema que deve ser discutido com muita seriedade; no entanto, será que a melhor alternativa é sair matando todo mundo a torto e a direito? Muito pelo contrário! O buraco é muito mais fundo do que isso, e se faz de cego, ou simplesmente é incapaz de compreender, quem pensa que as atitudes do Capitão Nascimento são justificáveis – sinceramente eu prefiro acreditar que o diretor faça parte do grupo dos que se fazem de cegos.

É bem verdade que o personagem de Wagner Moura (muito bem interpretado, diga-se de passagem) tem seus conflitos com o tipo de vida que leva – principalmente quando está prestes a se tornar pai. Entretanto, esses conflitos são muito pouco aprofundados e acabam sendo colocados em segundo plano na trama. Nascimento, na verdade, é um comandante sanguinário que mata sem dó nem piedade, camuflado em uma máscara de herói que conquistou e acertou em cheio o público brasileiro. Afinal, quem não saiu do cinema com vontade de atirar na primeira pessoa que visse pela frente? Será que era essa mesmo a mensagem a ser passada?

Tropa de Elite é um bom filme policial, feito para ser visto somente como mais um dentro da indústria do entretenimento – jamais para se analisar profundamente e muito menos cultuar. O destaque vai para o bom desempenho dos atores; Wagner Moura consegue retratar muito bem o seu personagem, assim como também o fazem Caio Junqueira, André Ramiro e principalmente Fábio Lago.

Minha Nota: 7.5

Direção: José Padilha
Gênero: Ação/Policial
Duração: 115 minutos
Elenco: Wagner Moura, Caio Junqueira, André Ramiro, Fábio Lago, Milhem Cortaz, Fernanda Machado, Maria Ribeiro, Fernanda de Freitas, Paulo Vilela, Marcelo Valle.

Anúncios

Tags: , , ,

9 Respostas to “Tropa de Elite (Tropa de Elite, 2007)”

  1. O Cara da Locadora Says:

    Tá aí, a sua leitura de Tropa de Elite é muito parecida com a minha, eu também prefiro ver o filme como simples entretenimento policial, pois acho que na questão ideologica peca e peca feio…

    PS: Eu sempre passo aqui e só comento nos filmes que eu já vi, rs, mas to seeempre aqui… Abraços…

  2. Leka Says:

    Pera lá! Não era você que gostava de Tropa de Elite?!?!?!
    Qualquer filme de ‘puro entretenimento’ que mexa com os instintos mais obscuros do ser humano, incitando-o a matar deve SIM ser analisado a fundo, pelo mau exemplo que é. E é impossível separar a carga ideológica do filme quando o próprio foi lançado com pretenções falsamente sociais.
    Por que fez tanto sucesso? Pois é um filme de matança feito para imbecilizar massas assim como muito filme de ação por aí.
    Tecnicamente? Lindo, caro, superprodução… Agora, falar que o filme é bom tendo Tihuana como trilha sonora é heresia!

  3. Bruno Pongas Says:

    Eu gosto de Tropa de Elite, como bem disse no post. Bom, pra mim serviu como um ótimo produto de entretenimento…

  4. Anônimo Says:

    Brasileiro tem a mania de achar que “todo filme deve ter um fundo social mostrando as mazelas do povo brasileiro”.

    Tropa de Elite é um bom filme, que vende bem, prende o espectador. Só por isso é bom e não precisa de mais nada.

  5. Bruno Pongas Says:

    Brasileiro também tem a mania de se esconder no anonimato.

    A indústria cinematográfica brasileira está em franca evolução, tanto que nos últimos anos têm apresentado ótimos filme, que inclusive ganharam projeção nacional. No entanto, ainda é muito pouco, se comparado por exemplo com o cinema argentino, que ainda está alguns anos na nossa frente.

  6. Alessandra Marcondes Says:

    hahaha, que estressadinho.
    Entãããão… Não é que todo filme brasileiro tenha que ter engajamento social. Preferível que não tenha, se é pra fazer um Tropa de Elite, visto que a ética que norteou a produção é bem duvidosa.
    Agora, falar que Tropa de Elite é bom independente da carga idológica nociva que ele contém é fechar os olhos, analisar só o lado superficial da coisa. E nem todo filme que vende e que prende o espectador pode ser considerado bom.

    E se é pra analisar do lado técnico da coisa, como objeto de puro entretennimento, preferível um Se eu fosse você, que tem muito menos potencial de perversão para massas.

  7. Alessandra Marcondes Says:

    E eu não seeeeei porque, esse comentário tem uma cara de Leonardo Polo… oO

  8. zeh Says:

    Cncordo com o comentário do autor do post. Mas, quanto a “no entanto, será que a melhor alternativa é sair matando todo mundo a torto e a direito?” Acreditem, não existe mais solução melhor. Pesquisem sobre os efeitos de uma guerra civil em uma sociedade e verão que isso faz parte de um processo longo e doloroso…

  9. Thaianne Gonçalves Says:

    O Tropa de Elite é um bom filme,sim,mas não conta a realidade do BOPE…
    Prefiro o Rota Comando,pois esse sim,conta tudo de verdade sobre os nossos heróis de boinas pretas…
    Eu sou paulista,e graças à ROTA sempre fiquei protegida,mas quando fui morar no RJ,sofri 3 assaltos em 2 anos…
    Agora vou voltar pra SP,pois lá estou segura,pois sei que a ROTA é a verdadeira tropa de elite,e que com ela,nada pode me acontecer!!!
    ROTA,NOSSO ORGULHO DE SER BRASILEIRO!!!

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: